sábado, 30 de junho de 2012

O PONTO RISCADO


“QUEM É ESSE ORIXÁ TÃO LINDO,
QUE VEM NO TERREIRO PARA GUERREAR?
SARAVÁ PEMBA, SARAVÁ ESSE ORIXÁ!
SARAVÁ O SEU PONTEIRO E A RODA PRA FIRMAR!”



É com esse ponto raiz que daremos início ao estudo sobre os pontos riscados na Umbanda.

O ponto riscado é um fundamento que nasceu juntamente com a religião de Umbanda.  Mais do que simples desenhos, os pontos riscados são símbolos sagrados, além de ser um dos elementos que demonstram a autenticidade da incorporação.

A entidade que realmente está incorporada em seu médium deve passar seu ponto riscado e ponto cantado os quais serão confirmados pela entidade chefe da casa.

Não existe entidade na Umbanda que não risque ponto. De exu à ibeijada todas as entidades, se entidades de verdade, devem riscar e firmar seu ponto.

É através dele que a entidade indica sua origem e linha de trabalho e busca as energias para o cumprimento de sua missão.

Obviamente que um médium em desenvolvimento não terá suas entidades riscando ponto da noite para o dia. Assim como o desenvolvimento mediúnico, é algo a ser trabalhado a longo prazo, pois, só se risca o ponto completo a entidade que está “firme”, ou seja, que já tem um domínio maior sobre a matéria do médium.

O médium em desenvolvimento, muitas vezes sem notar, passa por inúmeras experiências. Às vezes aparecem símbolos em sua mente, sonham com pontos riscados e cantados, etc. Essas experiências nada mais são do que a espiritualidade preparando o médium para o desenvolvimento. Como já foi tratado em inúmeros textos, o desenvolvimento mediúnico não ocorre apenas dentro do terreiro, mas ele é constante em nossas vidas. Por tal razão o médium deve estar sempre em sintonia com a espiritualidade, a fim de contribuir para o próprio progresso.

Quando se vê “médiuns” em que suas “entidades” tremem ao riscar o ponto, ou “rabiscam” a tábua com símbolos indefinidos ou até mesmo se negam a riscar o ponto, é um evidente sinal que seu desenvolvimento ainda não está completo. Que ainda possuem uma consciência que interfere na vontade entidade.

A entidade quando de fato incorporada, risca sem medo e sem dúvida, pois ela conhece o ponto a ser riscado. Falta nas situações apontadas acima, sintonia entre o médium e sua entidade e até mesmo o próprio desenvolvimento do médium.

O médium jamais deve forçar sua entidade a nada. Muitas vezes o médium na pressa de “se desenvolver” realiza atos que apenas o irão expor. Quando chegado o momento de riscar seu ponto a entidade irá fazer sem qualquer hesitação. Qualquer interferência do médium na incorporação é prejudicial, mesmo nos casos da mediunidade tida por consciente.

Muitas vezes, a entidade, quando entende que já chegou momento, começa seu ponto, com, por exemplo, uma flecha, uma folha, um raio, etc., e o deixa aberto. Não se trata do seu ponto riscado, mas sim de seu começo. Com o passar do tempo ela irá completando até dizer que está pronto. O circulo ao redor da tábua se dá apenas após a confirmação do ponto, sendo, geralmente, feito pela primeira vez pela própria entidade chefe.

Já os médiuns graduados, estes já passaram pelo desenvolvimento inicial, por isso suas entidades riscam por completo sem qualquer hesitação. Se a hesitação houver, é sinal que seu desenvolvimento também não foi completo ou está inadequado para a formação que possui.

Dessa forma, verifica-se que apenas após a entidade riscar seu ponto e ele for confirmado pelo guia chefe da casa, é que a entidade estará de fato incorporada. Por essa razão é totalmente equivocado a utilização de materiais pela entidade antes de sua confirmação.

Por exemplo, utilização de capa e chapéu para exu, bengala para preto velho, bicos e enfeite para as crianças, ciganos, etc., por “entidades” que não riscaram o ponto. Ora, se ela não riscou ponto, não se sabe quem é, não se sabe se de fato é a entidade ou se a própria cabeça de médium.  Nem todo Exu usa capa! Nem todo preto velho usa bengala! Nem toda criança usa enfeites e bico! Por essa razão esses elementos só poderão ser utilizados pelo médium em que a entidade riscou e teve seu ponto confirmado, pois somente aí ELA poderá escolher de fato os elementos que deseja utilizar em seu trabalho e não o médium.

Também é desaconselhado o médium em desenvolvimento procurar na internet pontos riscados ou comprar os famigerados livros de pontos riscados. O ponto riscado é algo individual de cada entidade. Como já visto em estudos anteriores, mesmo que duas entidades pertençam a mesma falange, como por exemplo do Caboclo Sete Flechas, raramente o ponto dessas entidades serão idênticas. Haverá sim semelhanças, mas cada espírito terá suas peculiaridades.

O ponto riscado, como dito acima, virá com naturalidade, com o tempo e não da noite para o dia como pensam alguns. A pressa só atrapalhará o sadio desenvolvimento do médium.

O médium não deve se sentir menosprezado por que sua entidade não riscou ponto. O desenvolvimento mediúnico não é igual para todos, pois cada pessoa possui a mediunidade em um determinado nível sendo alguns mais aguçados que outros. Como dito acima, deve ter paciência e buscar o correto desenvolvimento passo a passo.

Os pontos riscados além de identificar a entidade, poderão ser utilizados para descarregos, firmezas, amacis, cura, segurança, etc. São pontos que a entidade, após sua confirmação, utilizará em seus trabalhos. Cada símbolo, cada risco tem um significado o qual deve ser explicado pela entidade que o risca.

As pembas com que eles são riscados, conforme já explicado no estudo sobre elas, vão depender da linha que a entidade trabalha e do objetivo que está se riscando.

Esse é um fundamento que não deve se perder! Nasceu com a Umbanda e nela deve permanecer. Têm-se relatos de terreiros que se dizem de Umbanda, em que não se é riscado ponto. Trata-se de completo absurdo! O fato de não se riscar ponto está abrindo campo para mistificações, além de comprometer a própria segurança da  casa.

Para encerrar, como sempre é dito em nossa casa, para exemplificar a importância do ponto riscado: “sentar no chão, comer doce e pedir benção é fácil, qualquer um faz sem precisar estar incorporado! Mas riscar seu ponto, confirmá-lo e dar seu ponto cantado, apenas as verdadeiras entidades irão fazer!”

“Umbanda tem fundamento e é preciso preparar!”

15 comentários:

  1. adorei tudo muito legal parabéns.equipe da vovó rita.mto ache para todos.

    ResponderExcluir
  2. Quem bom que gostou irmã!
    Seja bem vinda ao nosso blog!
    Que Oxalá te ilumine!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Sou artista plastico e tenho uma atração muito grande por ponto riscado, tendo já feito alguns em forma de desenhos. Agora estou novamente com muita vontade de utilizar elementos dos pontos e criar novos pontos e usar no meu trabalho de arte. Tendo consciência de ser uma arte Afro-brasileira.Gostaria de sua opinião!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Jorge!
      Seja bem vindo ao nosso blog!

      Muito interessante seu trabalho com os pontos riscados, com certeza tais elementos, muitas vezes despercebidos, são parte desse rico universo cultural umbandistas.

      Todavia, aconselho-te a sempre pedir autorização da entidade dona ponto, visto que se trata de sua identificação e de parte de sua magia. Criar ponto, acho meio desnecessário, já que são inúmeros os pontos passados pelos nossos guias. Fica como sugestão!

      Sucesso em seu trabalho!

      Abraço!

      Excluir
  4. Adorei o blog, sou uma iniciante e muito anciosa, suas palavras acalmaram meu coração. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou irmã! Nosso objetivo é justamente auxiliar os irmãos que estão iniciando na religião! Seja Bem Vinda!

      Excluir
  5. Irmãos, sou médium Umbandista ,hoje acordei com um canto da vovó Maria Rita,, o mentor espiritual com a qual trabalho é pai Benedito,,gostei de mencontrar mensagens referente a vovó Rita , nao sei oque significa estou passando por varias mudanças no meu caminho,mas tive um belo dia...... Muito axe a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom! Que Oxalá e os guias da Umbanda sempre iluminem seus passos! Abraço!

      Excluir
  6. Aqui esta toda explicação que eu estava querendo, sou medium iniciante e sinto tudo isso,incorporo porem sou consciente, sei tudo que esta passando porem com uma força maior que a minha, as vezes fico pensando se eu estou mentindo, fico triste, mais logo peço força aos meus orixas, aguardo contato..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é normal irmão! Todo médium no início tem essa dúvida. Mas permaneça calmo e confie nos seus guias que tudo irá dar certo! abraço!

      Excluir
  7. Adorei a Explicação... pois eu abominava a umbanda e hoje estou como médium de uma casa aqui de Ribeirão Pires em fase de desenvolvimento. Tudo aconteceu depois que conheci minha esposa... hoje amo muito a umbanda, minha esposa...e minha yalorixá, que conduz uma missão dificil e ela realiza com muito amor... Que nosso pai Oxalá abençoe a todos.....

    ResponderExcluir
  8. Olá, gostaria de entender o significado de dois riscos como meia lua se entre cruzando.. também o significado de um oito aberto na parte de cima.... obrigado

    ResponderExcluir
  9. Fazem apenas 8 meses que estou em desenvolvimento e minha mae de santo ja quer fazer o medium incorporado riscar o ponto , eu sou consciente e acredito que eles acham que estou mistificando mas nao me sinto preparada ainda para riscar o ponto , pois nao recebi nada ainda das minhas entidades. Eles acham que por estar em desenvolvimento ja acham q estou preparada para tal . Mas ainda nao estou e nao sei oq fazer em relação a isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem determina o momento de riscar o ponto é a entidade manifestada e não os dirigentes. Quando chegar a hora ela irá riscar. Pressionar um médium iniciante para isso é comprometer a comunicação. Com todo respeito aos seus dirigentes, mas essa é uma atitude equivocada!

      Excluir

Deixe sua opinião

T.U. Filhos da Vovó Rita

T.U. Filhos da Vovó Rita